hawai167

Paraná Clube vence, abre vantagem e se aproxima do acesso

0

Vitória por 2×0 sobre o Luverdense recupera a equipe e deixa o time a duas vitórias de voltar pra primeira divisão

Paraná Clube conseguiu o que precisava. Voltar a jogar bem, vencer e retomar o caminho para a primeira divisão do futebol brasileiro. Na sexta-feira (10), o Tricolor venceu o Luverdense por 2×0 na Vila Capanema com mais de 13 mil pessoas e voltou ao terceiro lugar – pelo menos temporariamente – da Série B. Com 59 pontos e três jogos a fazer, com duas vitórias o clube consegue, sem qualquer tipo de combinação, o acesso para a Série A em 2018.

O Paraná entrou em campo com novidades. Igor e Alemão, que não foram bem nas últimas rodadas, foram barrados por Matheus Costa. Rayan virou o titular na lateral-esquerda, adaptação que já foi feita em vários momentos da temporada. E Robson virou o jogador mais avançado do time, com Vitor Feijão ganhando a posição como jogador de velocidade. Eram as tentativas de “chacoalhar” o elenco e recuperar o bom futebol.

Quando a bola rolou, o Tricolor tinha caído para o quinto lugar da Segundona. O empate entre Oeste e Juventude mudava a classificação – mas, a rigor, era um ótimo resultado. Se também empatasse, voltaria ao G4. Mas o objetivo era vencer, recuperar a confiança e abrir vantagem de novo. E para isso, o plano era ser agressivo desde o primeiro minuto. Mas a primeira defesa foi de Richard, num chute malandro de Sérgio Mota.

O domínio, no entanto, era paranista. O primeiro grande momento de perigo foi aos 10 minutos, quando Robson ganhou na vontade e Renatinho chutou colocado, mas Diogo Silva tirou. E pouco depois, aos 16, veio o gol. A jogada começou com Renatinho, que lançou Robson. O passe para Cristovam deixou o lateral livre, e se era para ser um chute, no final das contas foi um passe para Vitor Feijão completar.

Parecia que seria uma noite tranquila. Mas Sérgio Mota se encarregou de avisar que a coisa não seria assim. Aos 22, ele mandou um canudo que explodiu na trave – e no rebote Richard se esticou todo pra defender o chute de Rafael Ratão. O jogo era bem animado, e o Tricolor também acertou a trave, depois da jogadaça de Renatinho e da conclusão de João Pedro.

Era um time bem mais agressivo, mas também mais tranquilo, sentindo menos a pressão pelos resultados. E assim as chances iam se sucedendo – aos 40, Iago Maidana quase marcou, a cabeçada pegou na trave. E os sustos também – aos 42, Alfredo foi impedido de empatar por uma boa intervenção de Richard.

O Luverdense, mesmo lutando pra não ser rebaixado, jogava ofensivamente (a ponto de tirar um volante e colocar um centroavante), o que deixou o início do segundo tempo equilibrado. O Paraná tinha espaço para jogar, mas não conseguia criar como na etapa inicial. A primeira grande chance foi só aos 17 minutos, com Gabriel Dias quase ampliando. Pra dar mais solidez ao time, Matheus Costa promoveu o retorno de Leandro Vilela depois de um bom tempo afastado por lesão – saiu o próprio Gabriel.

Por Cristian Toledo | A Tribuna

Campartilhe.

Comentários desativados.